21 janeiro 2014

Duzinda - Clotilde Chaparro

Enredo

   “Duzinda” é uma biografia de duas mulheres brasileiras que sofreram durante toda a vida. Contudo, o título refere-se apenas a uma delas, Duzinda.
   Ela era uma moça que trabalhava na mercearia de seu pai, e que se apaixonou por um homem que sempre estava por lá. Eles fugiram e foram morar na casa da sogra dela. Duzinda foi maltratada por quase todos seus parentes e de seu marido, mesmo assim, teve de cuidar da prima dele que contraiu tuberculose. A história continua.
   A outra personagem principal era Iolanda. Ao ser estuprada por policiais, ela os denunciou. Para a década de 30, a sua ação foi um ato de grande coragem. Logo, ela se casou com um tuberculoso e teve que enfrentar a vida com suas duas filhas. Depois disso, acontece diversas coisas e ela consegue vencer.


Comentários

   Inicialmente, já queria dizer que amei a história de vida da Iolanda. Acho que é um feito de superação e de força. Ela tinha seus defeitos, não se intimidava pela forma de como a sociedade pensava e foi corajosa até o final de sua vida.
   Já Duzinda, foi tratada pela Clotilde Chaparro como uma coitada, o que eu acho que me deu mais raiva da personagem. A autora deixou claro que Duzinda permitia ser humilhada e julgada. Ela é tratada como uma mulher perfeita que só sofreu a vida inteira, o que para mim é uma grande mentira.
   Achei o livro, em sua grande parte, chato. Porém, quando se contava qualquer coisa da Iolanda tudo ficava bem divertido e legal. O livro foi baseado em fatos reais.



Informações
Duzinda
Clotilde Chaparro



Editora: Thesaurus Editora
Ano: 2002
Nº Páginas: 108

"Duzinda" é um romance de ficção. Acontece nas décadas de 30 e 40, num bairro classe média da cidade de São Paulo. O esqueleto do drama se passou realmente, mas o "recheio" é imaginário. Para criar, a autora baseou-se em casos que escutou durante sua vida. Poderia se passar em qualquer estado do Brasil, quiçá do mundo. Aliás estão acontecendo hoje fatos semelhantes, tanto em bairros de luxo como na periferia pobre. Trata-se de uma história que aborda os "pequenos" maus-tratos e abusos que sofre a mulher comum, no seu cotidiano. Isso vai lhe tirando a dignidade. A intenção é que a mulher, ao ler este livro, perceba, de maneira sutil, como também a sua vida pode estar sendo atingida. Muitas talvez não consigam fazer nada, porém, como dizem os psicólogos, ter consciência do problema, já é um passo muito importante. Há também uma personagem, a Iolanda, que é uma mulher forte e lutadora. Na comparação das duas é que a autora tenta passar a mensagem positiva. Foi escolhida a saga dessa jovem, a Duzinda, pois apesar da mesma ter vivido a tanto tempo atrás, as pessoas que conviveram com ela, ainda se lembram muito de tudo. Dela e da Iolanda, a outra personagem. Também porque, a todas as mulheres que ela passa esta história – sobre os aludidos abusos e maus-tratos – se comovem muito. Mesmo aquelas que aparentemente nada têm a ver, desde a mais intelectualizada até aquela de poucas letras. Dizem se lembrar de uma parente, de uma vizinha...


2 comentários :

Lara Melo disse... Responder

Nunca tinha visto algo sobre esse livro, na verdade todos os livros que vc resenha são desconhecidos para mim, acho muito legal esse seu gosto diversificado, adorei a resenha!


Beijos,
Lara - whoisllara.com

Gabriel Luan disse... Responder

@Lara MeloÉ Lara, a maioria dos livros que estou resenhando nos últimos tempos são mesmo desconhecidos para o grande público. Acho que isso é porque quando vejo um livro, leio não me interessando se é famoso ou não e também porque vou em muitos sebos. Bjs

Postar um comentário